26 de dezembro de 2012

Contos e Prosas - apresenta a criação de:


A Cigarra e sua Sinfonia.

Numa pequena floresta habitava uma cigarra que cantava tão bonito que quem a ouvisse não resistia e parava para apreciá-la. O interessante é que em cada árvore em que ela se agarrava o som saia diferente. Isto chamava muito a atenção da bicharada.
E a bicharada sensível àquele som, fazia coro com a cigarra, cada um em sua respectiva voz:
o pássaro chilreava;
 o lobo uivava;
 a cobra sibilava;
 o sapo coaxava;
 o macaco guinchava;
 o grilo cantava;
o inseto zumbia;
 o papagaio palreava.
Era uma verdadeira sinfonia.
A formiga, porém, sempre apressada em guardar o seu alimento, passava carregada de folha e não dava atenção ao cantorio dela...
Intrigada, a cigarra abordou a formiga:
 — Senhora formiguinha, todos os animais param para ouvir o meu cantar e, até, fazem coro comigo e a senhora sempre passa muito ligeira, seguindo o seu caminho e não dá ouvidos a meu som. Por quê?!
 A formiga respondeu: 
— Estou muito ocupada e não posso deixar o meu trabalho para ouvir quem não tem o que fazer.
A cigarra devolveu:
— O que é isto, senhora formiga, quanta grossura em sua resposta?!
 — É isto mesmo, dona cigarra - falou a formiga - continue cantando e quando o inverno chegar faltará comida para a senhora.
A cigarra meio desolada expressou:
 — Senhora formiga, trabalhar é muito bom, mas divertir-se  é  um lazer que todos devem praticar porque além de trazer mais  alegria e disposição para trabalhar, proporciona  saúde.
A formiga, então, indagou-lhe:
— Quando faltar comida, onde encontrarei? Como alimentarei minha família?
 Retrucou a cigarra:
— Sei que a sua colônia é muito bem organizada. Há enfermeira que cuida das larvas. A rainha é destinada à procriação. A operária faz o túnel do formigueiro e busca alimento e a sentinela cuida da segurança. Cada uma tem algo particular para cuidar dentro da colônia. Então, procure armazenar somente o necessário para os dias do inverno, nada de excessos porque os excessos sempre trazem prejuízos. A senhora não me vê cantando e sempre alegre? Quando sinto fome voo até a plantinha e pego uma folha e logo fico alimentada e volto para o meu divertimento. Por isso, vivo sempre a cantar, sempre a sorrir, sempre a alegrar a todos que me ouvem e tenho muita satisfação nisto. A vida só é colorida se a gente olhá-la com o desejo de tornar a amargura em esperança, a tristeza em alegria; cada dia em uma canção. Assim, o sentimento do viver torna mais leve e prazeroso a vida. Venha juntar-se a nós e verá o gosto que o cantar faz em nossa vida.
A formiguinha meditou no que a cigarra lhe falara e resolveu parar para ver o show de vozes no ar. E não é que a danada gostou? Começou a emitir umas notas um pouco tímidas e caiu na farra, em meio àquela orquestração maravilhosa.
Ela percebeu que tudo na vida tem limite. Não exagerar nas preocupações para que elas não venham nortear as nossas vidas e permitir que passemos pela vida e não a vivamos.
  

Tunin
Direitos Autorais Reservados ®

* Clique AQUI e conheça o blog do autor.
_____________________________________________________________________________________________

22 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Olá Tunin!Lindo conto!Devemos pensar em nosso futuro com trabalho mas muitas vezes há necessidade do descanso para que possamos aumentar nossas energias,alegrar nosso ego e assim recomeçaremos naquilo que deixamos para que tenhamos um futuro promissor,principalmente ensinando nossos filhos que nada na vida será ganho se não for com muita dedicação e labuta.
Parabéns!Já conheço seus textos que sempre nos trazem alguma meditação.
Abraços
Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

Nádia Santos disse...

Bom dia Tunin, que gracioso conto. É bem verdade o que disse a cigarra, não devemos levar tudo ao pé da letra, nosso corpo tem limites, e tem muitas pessoas que nos cercam que precisam de um pouco de carinho e atenção de nossa parte, por isso temos que nos organizar para termos tempo para o divertimento e para a família e amigos. Grande abraço e Tenha um feliz Ano!
http://poesiasesonetos.blogspot.com.br

POR TODA MINHA VIDA disse...

Tunim Magnífica conto belo discorrer ...envolvente muito bom mesmo ...e que venha o futuro feliz 2013 a te cheio de mais novas e boas inspirações e sucesso um abraço Pedro Pugliese

Dorli disse...

Oi Tunin
O dia é dividido em vinte e quatro horas: oito para trabalhar( que acho um exagero, rsrs), oito para o lazer e oito para dormir.
Se exageramos em qualquer divisão de horas viramos escravos da nossa própria ignorância.
Mas, temos que cumprir bem os horários, se a cigarra pegou(não sei, não falou) as 24 horas só para cantar, irá se danar no inverno e se a formiga usou suas vinte e quatro horas para o trabalho vai ficar chata e estressada e, no mundo dos animais não há psicólogos.
Eu não sei se ela foi ouvir a cigarra cantar, pois ela não dorme, só cochila, alguns segundos, mas se foi, parabéns, você mudou a estória mais uma vez!!!
Achei o máximo seu conto, cheio de criatividade que agrada a qualquer pessoa que o lê.
Parabéns Tunin
Boa sorte...
Lua Singular

METAMORFOSES disse...

Boa tarde
Gostei mais dessa sua versão da estória infantil
Muito boa
Cristovam

Rosa Branca disse...

nosssaaa que perfeita sintonia, adorei, e é acho que por mais certos que estamos, sempre tem algo a mais a aprender e melhorar, e todos tem algo a ensinar e aprender, todos, todos!

Mary disse...

Oi Tunin!

Lindo conto, adorei o diálogo da cigarra e da formiguinha, no final deu tudo certo.
Ambas viveram felizes para sempre rs.

Parabéns pela linda participação!

---Mary

*Escritora de Artes* disse...

Olá Tunin,

Gostei do conto!

Abçs

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Siempre hay que ser precavido, pero sin excesos que nos hagan pasar por la vida sin apenas divertirnos y estar en sociedad con los demás.
Precioso Cuento.
Um abraço.
¡¡¡Feliz Navidad y Próspero Año 2013, en compañía de todos tus seres queridos y amigos!!!
Um abraço.

Lu Nogfer disse...

Adorei a nova versao da historia!
A vida nao é somente trabalho.É preciso diversao tambem!

Parabens pela bela criatividade e tambem reflexiva.

Abraços

elvira carvalho disse...

A recriação de uma fábula sempre muito agradável e de agradável leitura.
Um abraço e um 2013 muito feliz.

MARIA MACHADO disse...

Parabéns Tunin, muito belo seu conto, você escreveu de uma maneira muito bonita, o diálogo entre as duas personagem foram enriquecido com belas frases. gostei muito.
Muito lindo mesmo!
Uma boa noite!

Maria Machado

Célia Rangel disse...

A visão atualizada que você fez de uma narrativa conhecida, mostra-nos que o bom senso, o equilíbrio e o respeito às individualidades é o que dever nortear nossa postura e conduta humana... Excessos nunca fez bem à ninguém. Parabéns pela sua participação.
Abraço, Célia.

ELAINE disse...

Querido amigo Tunim! Parabéns pela participação! Interessante e inteligente, como sempre! Inspiradora em sua mensagem reflexiva! Gostei muito! Um 2013 abençoado para o amigo e seus familiares! Abraço carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Evanir disse...

Tunin:Meu amigo não conhecia essa linda sintonia.
Uma boa lição tudo tem que ser bem dosado na vida.
Nada fora do limite é bom..
Uma participação exuberante!
Linda semana beijos,Evanir.

Dídimo Gusmão disse...

Parabéns, pela belíssima fábula.
Gostei muito.
Abraços literários.

http://didimogusmao.blogspot.com.br/2012/12/prazer-autor-carlucio-o-bicudo-registro.html

Patricia Galis disse...

Meu amigo que lindo, é vdd tudo na vida tem limite.

Bento Sales disse...

Olá, amigo Tinin!
Sua versão da fábula é muito mais oportuna e pertinente que a original, além de ser uma ótimo alegoria para nossa vida cotidiana.
Também tenho de ressaltar que sua gramática é espetacular.
Seu conto deu um colorido especial a este valoroso evento do bom amigo Viviani.

Abraços a ambos e ótimo 2013!

VILMA PIVA disse...

Olá Tunin, sim, tudo na vida há de ser dosado, pois o excesso acarretará em algum prejuízo. Sua adaptação do conto original ficou maravilhoso!!
Parabéns!! Um prazer te ler!
Beijos!

Tunin disse...

Obrigado a todos que por aqui passaram e deixaram seus belos e estimulantes comentários. Ao Viviani, o meu mais sincero agradecimento, pela oportunidade. Prometo visitar a todos.
Feliz 2013!
Abração.

Bia Hain disse...

Tunin, achei fantástica a releitura do conto A formiga e a cigarra, mostrando que o exagero não faz bem a ninguém! Parabéns pela mensagem e criatividade, adorei! :) Um abraço!

Cesar S. Farias disse...

Equilíbrio e moderação em todas as atividades da vida. Um conto que remete-nos á isso, escrito de maneira didática.

Abraço